quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Natal em Foco...

Aos Amigos,
(Focas, profissionais, amigos, família, visitantes do Ensaios...)


o Natal é mais do que o tempo ou época do ano para se comprar presentes e cartões com mensagens prontas de sempre saúde, paz e sucesso. É mais do que uma data para se ter recesso na repartição ou lembrar de assistir à Missa do Galo.
É tempo de renovação, de despertar para os erros cometidos e reelaborar nossas atitudes para o ano que irá começar em pouco mais de uma semana. É data para reunir a família de um modo que se possa querer reunir sempre, em domingos ininterruptos e durante todo o ano. É época para lembrar que esse espírito que envolve o mês de dezembro é bom demais para se limitar a um único mês no ano.
Deve servir para repensarmos nosso modo de viver e dar mais importância à união da família e dos amigos, de praticar o bem, de montar grandes movimentações em prol dos desamparados, de querer realmente mudar para melhor o mundo em que vivemos.
Por que natal sem fome se as pessoas sentem essa necessidade o ano inteiro? Por que doação de presentes de natal se as crianças precisam brincar o ano todo? Por que desejar paz e saúde a quem encontrar de conhecido na véspera de natal se nem sequer olhamos direito para essa pessoa durante o ano? Por que lembrar de ser bom e querer o bem de todos só nessa época? Que sentido, que verdade terão essas palavras ditas por obrigação?
Não podemos deixar que tudo isso simplesmente se repita por mais um natal e mais uma virada de ano. Somos capazes sim de evitar que todo o sentimento que toma conta de nós no natal se desanuvie em primeiro de janeiro.
Temos de lembrar de levar o espírito de fraternidade e sensibilidade que temos no natal, por todo o novo ano, e sempre e sempre.
E sermos sempre desejosos de paz, saúde e sucesso a todos que encontrarmos e a todos os amigos e a toda a família. Sermos capazes de pensar no próximo e agir pelo próximo. Saber entender as pessoas e as suas atitudes e ter capacidade de perdoá-las.
Amar a cima de tudo.
Natal é dia de reflexão, renascimento que dá ênfase ao sentimento que deve prevalecer sempre, em todos os lugares e para todas as pessoas: o amor.
Que tenhamos um natal de boas e renovadoras reflexões, e que saibamos levar para toda a nossa vida o sentimento de amor expresso em nossas atitudes através da paz, fraternidade, sensibilidade, generosidade e do amor que dedicarmos às pessoas.
Que em 2009 possamos pôr todo o nosso espírito natalino em prática durante os 365 dias do ano.

Mas calma, 2008 ainda não acabou. Temos nas mãos um ano bissexto. Um dia a mais de vantagem para fazer toda a diferença. Ainda há tempo...

Feliz Natal e prósperos 2009, 2010, 2011...


É o que deseja o “Ensaios em Foco”!!!!!


Talita Guimarães

sábado, 20 de dezembro de 2008

Da arte que faz bem


Banda formada por estudantes do CEFET-MA revela uma turma de amigos, que em sintonia, produz música de qualidade com talento nato.

“Alessandro na guitarra, Pedro no contrabaixo, Fernando Bateria e Sfânio nos vocais. Banda Móbile...”. Com a apresentação dos integrantes cantada em ritmo de balada que Sfânio Mesquita e sua banda iniciam oficialmente a carreira da “Móbile” durante a I Mostra de Talentos do CEFET-MA. A banda em questão é uma reunião de três amigos que, fascinados por música, marcavam ensaios aleatórios para cantar e tocar suas preferências musicais por puro hobby. Com aproximadamente quatro meses de existência, “Móbile” ainda não havia realizado nenhum show, tampouco tinha nome definido. “Tivemos cinco minutos para pensar no nome da banda, então decidimos por Móbile”, o vocalista disse ao público pouco antes de começar a cantar. Em seguida, entoou os versos citados acima, que acompanhados pela banda resultaram em uma simpática apresentação .

Mas para quem imaginou que a banda seria aquela típica desafinação adolescente, de um contexto musical pouco definido com vozes e acordes de rebeldia juvenil, enganou-se. Os meninos da “Móbile” têm repertório rico, bem definido e contextualizado. Apresentaram Música Popular Brasileira com um olhar jovem, difícil de encontrar no atual cenário musical maranhense. No repertório, nomes como Paulinho Moska, Lenine, Vanessa da Mata, Jorge Vercilo, Zeca Baleiro, Nando Reis e sobretudo Djavan.

“Ensaios em Foco” conversou com o vocalista Sfânio Mesquita, que contou um pouco sobre a descoberta do talento para música desde as primeiras notas até a formação da banda. Sfânio estava na transição dos 16 para 17 anos quando ganhou um violão de presente do pai. No começo, não deu muita importância para o instrumento. Nunca tinha tocado e não sentiu muito interesse em aprender. “O violão deve ter ficado vários meses parado, sem que eu ligasse.” Mas, durante uma viagem para uma cidade do interior do Maranhão, carregou o instrumento junto e entediado com a monotonia do lugar começou a arriscar algumas notas. Cantou para acompanhar e descobriu um timbre bom, suave. Daí em diante começou a se dedicar ao violão como autodidata e logo percebeu que tinha jeito para música. Católico, levou o violão para missa e começou a tocar na Igreja. Desde então, não parou mais. Conheceu Pedro e Fernando no CEFET-MA, firmaram amizade e começaram a tocar juntos por prazer. Quem assistiu à banda na I Mostra de Talentos do CEFET-MA percebeu logo a sintonia entre os três, que conheceram o guitarrista Alessandro na hora, e nem perderam tempo em convidá-lo para unir-se ao grupo já naquela apresentação.

"Móbile" na I Mostra de Talentos do CEFET-MA. Da esquerda para direita:
Pedro (contra-baixo), Sfânio (voz e violão), Alessandro (guitarra) e ao fundo, Fernando (bateria)

A partir de agora, a Banda "Móbile" aguarda convites para shows e apresentações de seu trabalho. Quem quiser conferir o talento dos meninos, basta entrar em contato com o próprio Sfânio pelo telefone (098) 81649214 ou através do e-mail sfanio@gmail.com.

Para uma banda dita iniciante, "Móbile" em nada deixa a desejar, pelo contrário, deixa ao público o desejo pelo próximo show. Por tudo isso, “Ensaios em Foco” indica a banda pela qualidade do som e o foco na musicalidade incomum desses jovens amantes da MPB e da arte - que feita por quem sabe – só faz bem. Assim, vale conferir a proposta e creditar crescimento à iniciativa.



quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Ensaios da Foca... (Reportagem especial)

Quando ensinar representa uma experiência de aprendizagem viva

Professor do CEFET-MA desenvolve, juntamente com jovens pesquisadores do ensino médio integrado ao técnico, projetos que envolvem arte e filosofia na construção de um conhecimento aplicável à vida dos alunos.

Por Talita Guimarães

Quando você pensa em ensino médio vem logo à mente a imagem de uma turma de meninos e meninas obcecados por fórmulas, cálculos, matemática, física, química e macetes que ajudem na hora de prestar um vestibular e que com efeito leve essa turma à aprovação? E se o ensino for técnico? Lembra imediatamente de um ambiente com seres programados para o cálculo exato, a objetividade e até para a frieza no tratamento de questões propostas?

Talvez o maior equívoco de muitas pessoas em relação ao ensino de ciência e tecnologia seja exatamente pensar que não haja espaço para disciplinas humanísticas em centros de ensino técnico. Engano de quem vê a educação de forma fragmentada e acredita haver separação entre técnica e ética, de modo que ciências humanas e exatas sejam hierarquizadas ou colocadas como rivais.

No Centro Federal de Educação Tecnológica do Maranhão (CEFET-MA) o cenário que vem sendo construído há alguns anos tem ido contra esse pensamento com a presença de dois departamentos sólidos e com profissionais compromissados na área humanística: são os departamentos acadêmicos de Letras (DAL) e de Ciências Humanas e Sociais (DHS).

Da necessidade de apresentar a filosofia aos alunos até então “técnicos” de uma forma atrativa e instigadora, o professor Jorge Leão resolveu desenvolver uma metodologia de ensino diferente do sistema convencional. Como a própria matéria pede um olhar mais atento e crítico, coube ao professor aproveitar o talento dos alunos para as artes - desperdiçado nas cadeiras técnicas - para trazê-los para o universo da construção contínua do conhecimento do ser humano em torno do mundo que o cerca e sua própria existência. Para isso, trouxe manifestações artísticas como teatro, música, cinema, literatura e artes plásticas para a sala de aula e propôs à turma uma série de análises críticas com a aplicação dos conceitos estudados nas aulas de filosofia. O resultado não podia ser mais positivo: seis alunos formaram um grupo de pesquisa, que sob a orientação do professor Jorge Leão, desenvolveu o projeto de iniciação científica “Filosofia com Arte no Ensino Médio” onde produziram artigos científicos sobre a inserção de manifestações artísticas como cinema, música, arte e literatura nas aulas a fim de melhorar o ensino de filosofia. O empenho da turma foi tanto que, uma vez contemplados com a bolsa do Programa de Iniciação Científica do Fundo de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento do Maranhão (FAPEMA), conquistaram o 1° lugar no Prêmio Fapema na categoria Pesquisador Júnior.


Professor Jorge Leão e estudantes durante reunião semanal do grupo de estudo

Desde então, o grupo já apresentou o resultado da pesquisa em quinze locais diferentes, entre eles a 15ª SBPC Jovem, em Belém, no mês de julho de 2007, na I Mostra de Ciências das Escolas Públicas, no CEFET-MA, no mês de outubro de 2007, além dos relatórios parciais e finais da pesquisa, junto a várias escolas públicas do estado do Maranhão, realizados nos meses de maio e novembro de 2007, respectivamente.

Apresentação do "Filosofia com Arte" durante 60° SBPC: (da esquerda para direita)
Larissa , Dayana Gomes e Antônio Ciríaco

Pesquisadores do CEFET-MA em Campinas (SP): partipação na 60° Reunião Anual da SBPC em julho de 2008

Segundo o orientador do projeto, a iniciativa é fruto de experiências com apresentações de trabalhos desde 2002, quando uma turma do ensino médio realizou a dramatização do Mito de Édipo demonstrando interesse pela arte como elemento de aproximação dos conteúdos estudados com a realidade. Foi aí que o professor percebeu que o que faltava aos estudantes era um método que facilitasse o ensino de filosofia possibilitando o desenvolvimento de um posicionamento crítico e por conseqüência melhorando o aprendizado da turma.

“O professor tem que ser um mediador entre o aluno e a possibilidade de construção do conhecimento. Seu método tem que, sobretudo, dar sentido ao conteúdo”, afirma Jorge Leão sobre a importância de o professor estar comprometido com um diálogo interdisciplinar que propicie ao educando compreender a sociedade em que está inserido mediante uma contextualização aplicável à vida prática .

Inspirado no trabalho de Paulo Freire sobre a educação e fundamentado no livro “Pedagogia da Autonomia”, o atual projeto desenvolvido pelo professor visa à criação de uma rádio escola de caráter educativo no CEFET-MA. Os pesquisadores do projeto – todos alunos da segunda série do ensino médio integrado ao curso técnico em Alimentos – já trabalham na pesquisa há quase um ano e se aproximam dos relatórios parciais com a intensificação da pesquisa de campo e das primeiras ações da futura rádio na escola.

Com auxílio da bolsa da FAPEMA e do apoio dado pela coordenação do CEFET-MA, o grupo participou como congressista da 60° Reunião Anual da SBPC, realizada em julho desse ano em Campinas – SP, e já apresentou o trabalho no III CONNEPI em setembro, no CEFET-CE em Fortaleza. A apresentação mais recente feita pelo grupo no CEFET-MA foi no início de novembro em um Café Filosófico sobre a vida de Paulo Freire, educador brasileiro estudado nas reuniões semanais da primeira etapa do projeto, e seu livro “Pedagogia da Autonomia”.

No último dia 10/12, os jovens pesquisadores apresentaram seus estudos no colégio Liceu Maranhense, durante o Seminário PIBIC-Jr realizado pela FAPEMA de 09 à 11/12.

Sobre Paulo Freire, a Rádio Escola e o Sarau Musical

“Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar possibilidades para a sua produção e construção”. Não só com a frase do sociólogo Paulo Freire bem colocada na camisa de divulgação do projeto intitulado “Música, Filosofia e Ciência: uma proposta educativa para a rádio-escola do Centro Federal de Educação Tecnológica do Maranhão” que os cinco pesquisadores vestem literalmente a causa defendida pelo autor de “Pedagogia da Autonomia” na luta por uma educação capaz de modificar para melhor a realidade brasileira.
Durante a penúltima apresentação do relatório parcial da pesquisa, o grupo – diga-se de passagem, muito afinado - apontou toda a base teórica da pedagogia freireana na educação desde as metodologias de alfabetização de crianças e adultos passando pelo fantástico feito de alfabetizar 300 cortadores de cana em 45 dias, até o estabelecimento de um ensino dialógico, capaz de unir professores e alunos em um único grupo pela construção do conhecimento e da resolução de problemáticas cotidianas.

A pesquisa em si surgiu a um ano, no final de 2007, quando o professor de Metodologia Científica incumbiu à turma da primeira série do técnico em Alimentos, a elaboração de um projeto que resolvesse algum problema percebido pelos alunos em relação ao funcionamento da escola. Foi aí que os alunos André Mendes, Wanessa Carvalho, Fabiana Vases, Pryscila Rodrigues e Myrla Amorim resolveram propor a criação de uma rádio dentro do CEFET-MA com o intuito de promover, através da comunicação, uma maior integração entre alunos, professores e servidores. A rádio escola seria, então, um veículo de conscientização da comunidade cefetiana quanto às causas da escola e a busca pela resolução de suas deficiências em vista de uma ação mais participativa.

Atualmente, o projeto desenvolvido pelos alunos sob a orientação do professor Jorge Leão, vem reunindo todas as quartas e sextas, durante o intervalo de almoço, um público cativo e amante da música. O Sarau Musical como primeira ação da rádio escola tem sido um sucesso porque oferece aos alunos, servidores e professores uma atração musical durante o almoço, e na maioria das vezes serve de espaço para o reconhecimento de talentos da própria instituição. Dentre os estudantes da escola que já se apresentaram no projeto estão Thaynan Marinho, Diego Reis, Adriana Maeda e João Felipe.







Talentos da casa: Adriana Maeda e João Felipe no violão (foto 1) e Thaynan Marinho(f.2)


Refeitório do CEFET-MA durante Sarau Musical: boa música na hora do almoço

Com o intuito de prosseguir com as atividades relacionadas à música dentro da escola, todas as atrações do sarau estarão incluídas na programação do I Festival de Música durante a I Mostra de Talentos do CEFET-MA, que ocorrerá no próximo sábado (13/12) a partir das 14h30 no pátio da escola. A mostra trará à comunidade exposições de artes visuais, shows musicais e apresentações artísticas de alunos, professores e ex-alunos e ainda a premiação do II Banquete Literário do CEFET-MA. Vale a pena conferir!