domingo, 17 de maio de 2009

MÚSICA E SOLIDARIEDADE EM FOCO

Jô Santos fala sobre carreira na Bossa Nova e a história do movimento que completou cinqüenta anos em 2008, durante Sarau Musical para estudantes e servidores do IFMA

A participação do cantor abrirá o FESTIVAL DA SOLIDARIEDADE do IFMA, promovido pela instituição federal na intenção de mobilizar a comunidade acadêmica e a sociedade em geral para a arrecadação de donativos, que serão enviados aos desabrigados pelas enchentes no interior do Maranhão. A programação cultural começará a partir das 12h e seguirá por toda a tarde com apresentações de alunos, da professora de música Tânia Rego e ainda um vídeo para debate sobre ética e meio ambiente.

Por Talita Guimarães

Com 30 anos de carreira em um movimento musical legitimamente brasileiro, Jô Santos apresentará suas composições e um pouco dessa história da música no Sarau Musical do IFMA, dia 22/05/2009, a partir das 12h no refeitório do Campus São Luís – Monte Castelo. O Sarau é uma ação do Projeto Rádio Escola, desenvolvido por estudantes da instituição sob orientação do Professor Jorge Leão, e nessa edição contará com um representante da Bossa Nova para falar sobre o movimento e sua contribuição para a música brasileira.
Natural de São Luís – MA, Jô Santos manteve seu primeiro contato com a Bossa Nova após mudar-se em 1976 para o Rio de Janeiro. Na capital carioca, o menino de apenas 16 anos, pretendia aprimorar seus estudos e aprender a tocar violão. Acompanhando as missas, Jô aprendeu os primeiros acordes do instrumento, de modo que rapidamente passou a compor o grupo jovem que preparava os cânticos da missa na Paróquia São Jaime, no bairro carioca Lins de Vasconcelos.

O talento para a música cresceu à medida que Jô acrescentou ao seu repertório composições de mestres da Bossa Nova, como Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Baden Powell e João Gilberto. Aos poucos, o rapaz se interessou pela música do movimento musical cujas canções, executadas suavemente ao piano ou violão, falavam de amor, vida, poesia, comportamento, sentimentos e buscavam inspiração nas praias e noites cariocas.

Na década de 80, Jô Santos retornou a São Luís e intensificou sua participação no cenário musical da cidade realizando shows com o também cantor Roberto Rafa em casas noturnas e teatros. Produziu ainda, várias apresentações, com destaque para: “ARRASTÃO” (1989), e “CANÇÃO DESCALÇA” (1993), nos anos em que considera a época em que a MPB se fez pura e cristalina.

Em “Tempero da Saudade”, seu primeiro CD lançado de forma independente em 2003, Jô apresenta ao público o lado compositor em 12 faixas autorais, sendo que a faixa-título apresenta uma legítima bossa em homenagem a Tom Jobim. Variando estilos, como samba, rock, música sacra, bossa nova, pop, e baladas, Jô tempera, ainda, o álbum com a sonoridade maranhense através da batida forte do tambor de mina na música “Uma prece a São Luís”, e seu lado crítico na guarânia “Carta a Che”.

A Bossa Nova como estilo, nasceu aos poucos, entre encontros de universitários, reuniões de fãs clubes do jazz norte americano que chegava ao Brasil nas vozes de Frank Sinatra, Dick Farney e Lúcio Alves e talvez, principalmente na vontade dos artistas brasileiros produzirem música brasileira, independente da produção norte americana que abastecia o país no pós-guerra.

Uma vez fã dos ícones do movimento, tríade da Bossa Nova – Tom Jobim, Vinícius de Moraes e João Gilberto - e adepto do estilo, Jô Santos segue a trinta anos, acompanhado de seu violão apelidado Germano, percorrendo palcos e bares com a intenção de levar seu cantar
BRASIL, inspirado na Bossa, para apreciadores da boa música brasileira.

SERVIÇO:
O quê: FESTIVAL DA SOLIDARIEDADE IFMA - atrações culturais em campanha para auxílio aos desabrigados nas enchentes do Maranhão.
Quando: 22.maio.2009, a partir de 12h
Onde: Refeitório do IFMA no Campus São Luís - Monte Castelo.
Av. Getúlio Vargas, n°04. Monte Castelo
Para quê: Arrecadação de donativos: alimentos não perecíveis e água potável, aberto a toda a sociedade.

Nenhum comentário: