domingo, 14 de junho de 2009

SOLIDARIEDADE E CULTURA EM FOCO

Mobilização Solidária IFMA realiza sarau sobre Tropicalismo e promove encontro musical de gerações de alunos
Texto e Fotos de Talita Guimarães

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) realizou na última sexta (12), mais uma edição do Festival da Solidariedade, através da mobilização que vem arrecadando donativos para os desabrigados pelas enchentes no interior do estado. A tarde de apresentações culturais contou com o sarau musical sobre Tropicalismo com Jô Santos, a participação especial de Daividson Dias e seguiu com uma programação comandada pela música produzida pelos alunos e ex-alunos do IFMA.

Dando continuidade ao projeto de contextualização histórica de movimentos musicais e grandes compositores, o Sarau Musical trouxe o cantor e compositor maranhense Jô Santos para apresentar as composições da Tropicália e a história do movimento em um bate-papo musical com estudantes, professores e servidores do IFMA.
Jô Santos: música e história do Tropicalismo para comunidade acadêmica

Jô, que abriu o Festival da Solidariedade no dia 22 de maio falando sobre Bossa Nova, percorreu a história do Tropicalismo desde os primeiros indícios do movimento. Explicou que quando a Bossa Nova partiu para as apresentações internacionais e deixou de ser destaque no Brasil, deu chance para que uma nova vertente musical surgisse no país motivada pelo cenário político e pelos novos anseios da juventude do fim dos anos 60.

O Tropicalismo foi um movimento musical e cultural que ocorreu no Brasil entre os anos de 1967 e 1968. “Apesar de ter durado oficialmente apenas um ano, o Tropicalismo foi um movimento efervescente pelo resultado inovador e ousado, garantido pela incorporação de vários ritmos, como samba, rock, bolero, bossa nova e ainda o baião”, Jô Santos fala ainda sobre o modo como o tropicalismo influenciou fortemente a música brasileira e lembra que foi a vertente que lançou nomes como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa e o grupo Os Mutantes.

Segundo o artista, as letras tropicalistas revolucionaram pela proximidade com a poesia e o diálogo com a literatura, além de tratarem temáticas políticas e passearem da tradição ao futurismo com desenvoltura. Sobre a permanência da tropicália na música atual, Jô considera o cantor e compositor baiano Tom Zé como o expoente mais fiel ao movimento. Entre as composições interpretadas por Jô, destaque para “Milagres do Povo”, “Ovelha Negra”, “Clichê do Clichê” e “Tropicália”. Na plateia, o professor Joan Botelho, o aluno e integrante do Coral Corpo e Voz André Diogo e ainda o humorista Paulinho Batalha acompanharam entusiasmados a apresentação, cantando as músicas e comentando ainda sobre o “Festival da Canção”. A apresentação de Jô Santos contou ainda com a participação especial da estudante do curso de eletrônica Fernanda Viegas, que o acompanhou na percussão.

Fernanda Viegas acompanha Jô Santos na percussão, segundo Prof. Jorge a estudante é um talento para a música

Após o sarau, foi a vez dos estudantes do IFMA apresentarem seus talentos musicais. Nessa reunião, alunos e ex-alunos se revezaram entre vozes, violões e percussão. Entre eles: Thainan Marinho (voz e violão), Tainan Lopes (voz e percussão), Anne Rabelo (vocal), Antônio Carlos Júnior, mais conhecido como Caju (voz e violão), André Felipe (voz e violão), Fernanda Viegas (percussão), Paulinho Batalha (voz e violão), Thawan Marinho (guitarra) e Roni (vocal).

Em homenagem ao Dia dos Namorados, Daividson Dias voltou a embalar o público com o romantismo da MPB e foi acompanhado pelo vocal da namorada Anne Rabelo, estudante do curso de Design Gráfico e pela percussão de Fernanda Viegas e Tainan Lopes.
Por fim, Paulinho Batalha assumiu o violão e encerrou a tarde cantando clássicos dos Beatles e ainda “Chão de Giz” de Zé Ramalho e “Eduardo e Mônica” de Legião Urbana.

Confira abaixo as fotos do encontro musical:
Três gerações de alunos: Tainan Lopes na percussão (2005-2008), Thaynan Marinho na voz - foto à esquerda - e no violão - à direita - (2007 -2009) e Caju (2009 - 2011)
Fernanda Viegas, Daividson Dias e André Felipe (foto à esquerda); Fernanda, Paulinho Batalha, Roni e André Felipe

Estudantes se aglomeram na área de vivência para assistir ao festival; Roni solta a voz na interpretação de canções cheias de romantismo

Fernanda interpreta canções da MPB acompanhada dos violões de Caju e André Felipe (ambos da turma 103 do curso de eletrotécnica); Anne Rabelo e Daividson Dias: casal apaixonado pela música

Tainan Lopes, Anne Rabelo e Daividson Dias; Fernanda, figurinha carimbada em todas as apresentações da tarde, acompanha Daividson Dias
Tainan Lopes canta acompanhado de Caju e Daividson Dias; Paulinho Batalha deixa o humorista de lado um pouco para soltar a voz acompanhado de Fernanda e Daividson
Fernanda Viegas e Paulinho Batalha; Thawan Marinho (sonoplasta e estudante de Engenharia Elétrica do IFMA) assume uma guitarra e acompanha Fernanda e Daividson.


3 comentários:

Saulo Galtri disse...

Ótima pauta Talita!!!
rendeu uma execelente matéria que naum deixou escapar nada.
Ah, e ótimo projeto tb.

Parabéns

Adnan disse...

Nossa! Que prestigio. Sou a pessoa que mais aparece nessas fotos,ninguem merece.
Valeu Talita! Nossa foquinha preferida.

Talita Guimarães disse...

Olá Saulo!
Olá, Adnan!

Obrigada pelas visitas! Saulo, como sempre, elogiando... amigo, obrigada pelo apoio! Em breve estaremos com novas produções em parceira por aqui!

Adnan... vou fingir que não sei quem é a "figurinha carimbada" em todas as apresentações da Mobilização Solidária... Talento para isso é o que não falta, seja na percussão ou no vocal, o prestígio é merecido. Continue assim, menina!

Abraços em todos, e obrigada por fazerem do "Ensaios em Foco" um espaço de amigos.

Talita Guimarães