sábado, 4 de julho de 2009

INTERDISCIPLINARIDADE EM FOCO

Mostra de Línguas movimenta alunos do IFMA no estudo da diversidade na literatura
Texto e fotos de Talita Guimarães
Colaboração: Talissa Guimarães

Na tarde da última sexta-feira (03), a área de vivência do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) se transformou em um grande espaço de exposição do panorama mundial da literatura e as influências culturais, artísticas, políticas, econômicas e sociais ocorridas no mundo desde a década de 1920. Foi a Mostra de Línguas das turmas de terceiro ano, que sob coordenação das professoras Danielle Ferreira e Cláudia, do Departamento Acadêmico de Letras do IFMA, movimentou os alunos na produção de uma exposição com três cenários temáticos no pátio: uma rádio onde os famosos LP’s eram destaque, uma arena de exposições com cartazes e um painel informativo sobre música e literatura e ainda uma tenda com a exposição oral sobre processos migratórios, onde os alunos caracterizaram-se de acordo com os povos explicados: europeus, latinos, africanos e asiáticos.

A atividade foi uma iniciativa da Professora Danielle Ferreira, que leciona Língua Portuguesa e Literatura para as turmas da terceira série do curso técnico em Desing Gráfico e Desing de Produto. Segundo a professora, o trabalho foi inspirado na proposta do livro didático de autoria de Tereza Cochar, que será adotado em 2011. A ideia proposta no livro é de desenvolver uma revista falada sobre literatura e o panorama mundial dos chamados tempos modernos. “Aproveitamos a proposta da revista falada na tenda, para explicar os processos migratórios das décadas de 1920 e 1930. Mas adaptamos o trabalho para aproximar a produção da área de atuação dos cursos, assim os alunos de Desing de Produto ficaram responsáveis pela migração porque poderiam trabalhar objetos, cores e outros aspectos específicos. Já a turma de Desing Gráfico pôde trabalhar com a confecção dos cartazes sobre música, cangaço, a obra de Jorge Amado e o Olodum.” explica Danielle. Um outro aspecto que a professora ressaltou no desenvolvimento da Mostra, foi a questão da interdisciplinaridade. O trabalho em conjunto com a professora de Inglês, Claúdia ampliou o alcance do estudo das turmas e possibilitou uma integração entre os assuntos estudados em ambas disciplinas . “Os alunos estudaram estrangeirismos e a influência da língua inglesa e prepararam um número também em que vão cantar uma música dos Beatles!”,afirma a professora.

Para falar sobre “A Diversidade na Literatura”, o conteúdo abordado durante a Mostra de Línguas foi desdobrado em várias ramificações, com a seguinte programação: 1) Brasil Anos 60: a classe média vai ao paraíso; 2) Rádio, com a participação especial do cantor e compositor Jô Santos; 3) Migrações no Brasil; 4) Seca: realidade e ficção; 5) O que é que a Bahia tem?; 6) Mais um momento de rádio, onde o público pode conferir desde a Bossa Nova até a música de protesto; 7) Robin Hood Brasileiro.

Assim, o que poderia ter sido apenas mais um seminário em sala de aula, se transformou em um momento de atividade interdisciplinar e integrada, com o desenvolvimento de um trabalho melhor elaborado pela turma, além da chance de relacionar os conhecimentos específicos de cada curso com a produção da exposição. “Os alunos ficam nervosos quando apresentam seminário em sala de aula, valendo nota. Não é produtivo porque cada equipe se concentra apenas na sua apresentação e acaba perdendo o conteúdo que os colegas preparam e que no fim formam o conhecimento necessário. A proposta de expor no pátio faz com que a turma trabalhe com mais motivação e possa aliar outras disciplinas, como por exemplo, a geografia que os alunos pesquisaram para falar sobre a seca e a obra de João Cabral de Melo Neto”, fala a professora Danielle.

Os alunos concordam que a proposta foi mais produtiva e já lembram que é bom trabalhar desse modo porque já podem visar o novo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) que traz um modelo de prova interdisciplinar e esse ano será o principal meio de ingresso às universidades do país. “É legal estudar dessa forma, porque é mais dinâmico”, apoia a estudante Mayanne Serra que apresentou painel com o “Estudo Geográfico da Seca no Nordeste”. E quanto à parte que mais gostou, Mayanne não hesita: “Saber mais sobre a moda da década de 60. Porque era tão diferente, o que pra nós parece inusitado, mas naquela época era normal”, afirma sorridente lembrando a encenação apresentada na arena em frente a biblioteca do Instituto, onde uma equipe montou o programa “Juventude Show”. As alunas “entrevistaram” uma estilista da década de 70, que apresentou a minissaia e as botas como tendência da época, e o “programa” contou ainda com a participação de Janis Joplin falando sobre suas músicas e o festival de Woodstock, fora o momento do patrocinador, típico da época e a chamada ao vivo de um repórter noticiando o assassinato do estudante Edson Luís, no estopim da ditadura militar.

A tarde de exposições contou ainda com encenações da obra de Jorge Amado e a apresentação dos alunos cantando “All my loving”, sucesso dos Beatles, acompanhados dos violões de Jô Santos e João Felipe. Por fim, o cantor e compositor Jô Santos acompanhou ainda o estudante Gildson, cantando Chico Buarque e encerrou a Mostra tocando canções da Bossa Nova acompanhado da percussão de Fernanda Viegas e da gaita de João Felipe.

Confira abaixo as fotos da Mostra de Línguas "A Diversidade na Literatura" das turmas do Terceirão em Desing do IFMA:

Estudantes organizam espaço na área de vivência do Campus Monte Castelo: painel, arena e rádio
Jô Santos apresenta canções dos movimentos musicais brasileiros: Bossa Nova, Jovem Guarda e Tropicália. Estudante João Felipe, da turma de Design Gráfico, acompanha Jô Santos no violão.
Programa "Juventude Show" apresenta últimas tendências da moda dos anos 70 e entrevista Janis Joplin. A influência norte-americana na música e na moda do panorama mundial.
Momento do patrocinador: Raphael, da turma de Desing Gráfico, faz anúncio do sabão em pó OMO, "patrocinador" do "Juventude Show". À direita, Isaque Mota e Geisa Assunção cantam cordel de Ferreira Gullar.

Rádio expõe LP's de sucesso, entre eles, Roberto Carlos, Gal Costa e Waldick Soriano. Estudante Gildson fala sobre movimentos musicais.

Dentro da tenda, estudantes apresentam revista falada sobre processos migratórios das décadas de 1920 e 1930. Da esquerda para direita: Priscila fala sobre imigrações asiáticas; Erick explica sobre os povos africanos; Kelson Carlos aborda "La influencia del latinos en Brasil"; Camila Chaves caracteriza-se de europeia para falar sobre italianos, franceses e portugueses; Jacyara faz explanações sobre as influências americanas, entre elas a Coca-cola; Klycia Castro e Vladiélem Pereira fazem uma grande explanação sobre migrações internas e entrevistam imigrantes; Alana e Kátia recitam trecho de "Morte e Vida Severina" de João Cabral de Melo Neto; João Vitor aponta fatores da Crise de 29; Priscila fala da chamada "Arte seca"; Mayanne Serra apresenta o "Estudo Geográfico da Seca no Nordeste".

Estudantes encenam trechos da obra de Jorge Amado e apresentam peça sobre cangaço.

Bruno explica sobre sucesso mundial dos Beatles; Turmas de desing cantam "All my loving" dos Beatles; por último, Sóstenes na rádio
Jô Santos acompanha João Felipe; Gildson solta a voz acompanhado de Jô Santos e Fernanda Viegas; Mayara Serra, de Desing Gráfico, faz breve retrospecto sobre a história da Bossa Nova
Parte das turmas de Desing Gráfico e Design de Produto com as professoras organizadoras da exposição, Danielle e Cláudia.

4 comentários:

Mariany Carvalho disse...

Quero começar parabenizando os organizadores deste blog. Gostei muito da idéia de se criar um espaço para expansão de conhecimentos e experiência na área do jornalismo, e gostei ainda mais do fato de que o IFMA foi escolhido como ambiente para criação destes artigos.
Quanto à Mostra, asseguro, como participante desta, que é muito gratificante ver exposto e comentado o resultado de um trabalho árduo, que custou pesquisas e muito corre-corre.
Obrigada, e mais uma vez parabéns pelo espaço.

Talita Guimarães disse...

Olá, Mariany!

obrigada pela visita e pelo comentário!
Bom, quanto à elaboração do blog, fico feliz em saber que a ideia foi bem aceita. Criei o "Ensaios em Foco" em setembro do ano passado, com a proposta de treinar e expor a produção acadêmica de estudantes de comunicação através de uma mídia livre, no caso o blog.
De lá para cá, tenho trabalhado como principal "foca" do "Ensaios...", mas tenho recebido também textos do Professor Jorge Leão e da foca Saara Sousa. E tenho publicado também as parcerias com André Mendes e o também foca Saulo Galtri.
A presença do IFMA entre as principais pautas do blog se dá por conta das excelentes atividades que os professores e os estudantes têm promovido na escola e nesse sentido, sou muito grata pela permissão em acompanhar todos esses eventos.
Fui aluna do CEFET-MA e tenho um vínculo muito forte com a instituição, que teve um papel muito importante na minha formação, fora os grandes amigos que fiz e ainda faço pela escola.

Por tudo isso, é sempre um grande prazer poder juntar duas paixões, como o jornalismo e o IFMA, e poder colocá-las aqui, no Ensaios em Foco.

As turmas do terceirão estão de parabéns pela "Mostra de Línguas", assim como as professoras Danielle e Claudia pelo trabalho.

Espero que nossa escola continue assim, com estudantes de potencial bem aproveitado e reconhecido.

Um grande abraço a todos,

e visitem-nos mais vezes!!!

Talita Guimarães

Jessica Alves disse...

Olá Thalita!
Não podería deixar de vir aqui e conferir a cobertura da mostra feita por vc. Está realmente de parabéns!
A forma como foi divulgada a mostra, juntamente com as fotos e a síntese do que foi exposto. é muito bom poder ver que todo o nosso trabalho valeu a pena e conferir o resultado depois.
O texto está ótimo, como aliás toda a cobertura.
Bjos,e continuarei passando aqui e continue aparecendo por lá!

Talita Guimarães disse...

Olá, Jéssica!

um trabalho bem elaborado precisa ser reconhecido como tal. É bom conhecer e ter a oportunidade de valorizar os trabalhos de todos aqueles que prestam bons serviços à sociedade.
A educação é um pilar importantíssimo, então, quando os professores motivam seus alunos, se empenham em trabalhos mais dinâmicos e conseguem um resultado positivo, estamos construindo algo melhor. Vejo isso pela dedicação das turmas que promovem essas atividades.
E sei que é muito gratificante para vocês poder conferir o reconhecimento desse trabalho. Afinal, é o reconhecimento que vai motivá-los a continuar e buscar sempre o melhor.

Continuarei visitando o "Repensando Aqui". E também estarei a postos sempre que precisar conversar sobre Jornalismo, ok?!

Abraços,

Talita Guimarães