quarta-feira, 16 de setembro de 2009

1 ANO EM FOCO


Especial comemorativo pelo aniversário de um ano do blog “Ensaios em Foco”

“Ensaios em Foco” comemora um ano na blogosfera
Por Talita Guimarães
Quando o blog “Ensaios em Foco” nasceu, em 14 de setembro de 2008, o objetivo principal era a utilização da ferramenta da web como forma de treino e exposição de material jornalístico produzido por acadêmicos de comunicação. A ideia era dar a estudantes como eu, um espaço para treino e prática dos conteúdos aprendidos nas aulas teóricas dos cursos de Jornalismo, Relações Públicas, Publicidade e Rádio e TV. A necessidade decorria da falta que eu, como estudante de jornalismo, sentia em relação a produção mais intensa de textos e da possibilidade de publicação em um veículo de circulação acadêmica. Assim, o “Ensaios em Foco” foi criado para suprir a falta de um jornal ou revista feita de estudantes para estudantes, trabalhando a metalinguagem na produção de textos jornalísticos que falassem de comunicação.
Durante os meses de postagem, o blog publicou material produzido por tarefas propostas nas disciplinas do curso de jornalismo da Faculdade São Luís (São Luís - MA), mas também buscou pautas próprias, sugeridas por colegas da faculdade, leitores e amigos. Mostrou-se ferramenta livre e útil no ensaio de quem ainda engatinha na profissão, e também serviu de apoio ao crescimento de quem passou por aqui, produzindo, sendo pautado e acompanhando cada postagem.
Além do aspecto acadêmico, “Ensaios em Foco” ampliou a relação entre comunicólogos em formação e a sociedade. Trabalhar na sua produção, fez pensar sobre cuidados importantes como ética e respeito pelo público, com a chance de dialogar com ele, coisa que não acontece na faculdade, onde a produção fica no comentário do professor e na tentativa de correção do tropeço. Mesmos os acertos, os bons temas e todo o trabalho suado em desenvolver uma boa matéria ficam restritos a uma nota e a chance de passar para o período seguinte. O público não vê a produção, não reconhece os profissionais que estão nascendo nem tem a oportunidade de vê-los estudar e melhorar na intenção de melhor servir a própria sociedade. Além disso, não aprende a ver a importância da formação acadêmica e permite que atrocidades e retrocessos sejam cometidos contra a profissão. Sem contar que se nós não recebemos o retorno de quem mais nos interessa ouvir, nosso trabalho fica pela metade, sem cumprir sua missão.
Aí reside a importância de um veículo acadêmico, uma revista semestral, um jornal mensal, um site alimentado por estudantes, enfim uma forma de aprender a produzir já tendo a preocupação em saber que haverá publicação, que seu nome assinará um texto e que pessoas que você nem conhece lerão o que por você foi produzido. Pode não parecer, mas essa sensação de responsabilidade faz toda a diferença.
Em um ano, “Ensaios em Foco” trabalhou humildemente na redação de matérias sobre temas leves e de interesse de jovens, estudantes de comunicação, educadores, professores e ainda colegas de profissão. Optamos por focar pautas que envolvessem educação e cultura e nessa linha trabalhamos ecologia, saúde, música, cinema, literatura e jornalismo. Tivemos momentos de posicionamento e opinião descritos em resenhas e críticas, divulgamos eventos do teatro e da literatura maranhense, acompanhamos estudantes em eventos escolares, entrevistamos professores, dissertamos sobre política, abrimos espaço para textos de educadores e colegas, estabelecemos parcerias, permitimo-nos publicar poesias e crônicas e sempre estivemos dispostos a comentar os comentários dos leitores. Além disso, listamos blogs e sites dos mais variados e indicamos leituras. Mesclamos jornalismo e amor, dedicação e liberdade, sinceridade e firmeza. O resultado está no ar há apenas doze meses, mas aniversariar é isso, chegar ao décimo segundo mês de existência e parar para refletir sobre o que já foi feito e o que ainda é preciso fazer. Nesse sentido, “Ensaios em Foco” fica feliz por resistir durante um ano e poder olhar para a linha de crescimento estabelecido, e com base nisso saber que precisa e pode continuar produzindo e trabalhando, ampliando a área de abrangência e estudando por um desempenho melhor e mais profissional.
Como disse Matinas Suzuki Jr no pósfácio de Hiroshima, livro que é considerado a melhor reportagem do século XX , “Ninguém faz bom jornalismo sozinho”. Sendo assim, reforçamos esse fato agradecendo a todos que acreditam em nossa produção, permitem-nos reportá-los, são agradáveis ao nos receber, visitam nossa página, comentam, seguem-nos a cada atualização e nos dão o que tanto precisamos para começarmos a ser jornalistas por completo, firmes no propósito e completamente apaixonados pela profissão.

Sobre o que ainda é preciso fazer...
Fazendo um apanhado geral do que foi esse um ano na blogosfera e o que foi produzido com base no propósito inicial, percebemos que é preciso melhorar: ampliar o olhar das matérias com mais entrevistas e mais fontes. Pautar mais fatos de interesse público e buscar responder questões do cotidiano que interessam a população, mas que pela rapidez dos acontecimentos passam despercebidos ou acabam não sendo resolvidos por completo. E nesse sentido, é preciso reconhecer que um acompanhamento mais efetivo é necessário.
O mesmo acontece com os eventos que divulgamos. É interessante acompanhar o antes, durante e depois para possibilitar uma conclusão sobre sua relevância, descobrir se o prometido foi cumprido, se houve mudança, se foi válido.
Quanto a proposta inicial de agregar valor ao conteúdo, incluindo no blog material produzido por estudantes de outras habilitações em Comunicação, reconhecemos que ainda não foi possível expor o que acadêmicos de RP, PP e Rádio e TV vem produzindo pelo fato de não recebermos colaboração de nenhum estudante dessas áreas. Infelizmente, os amigos que podem integrar a equipe estão sempre muito atarefados com seus cursos e não dispõem de tempo para nos enviar sua produção. No entanto isso não significa que as portas do “Ensaios em Foco” esteja se fechando para colaborações, pelo contrário, continuamos considerando a proposta válida e aguardando a produção dos acadêmicos que quiserem publicar seus textos conosco. Daremos o devido crédito e ficaremos felizes em receber material de outros estudantes.
Assim, “Ensaios em Foco” pretende manter a linha de treino e exposição acadêmica, aproveitando o aprimoramento que o exercício proporciona e buscando melhorar a qualidade dos textos tanto sob o aspecto da técnica de redação jornalística quanto da relevância do conteúdo. Porque como diria Carlos Drummond de Andrade, “Amar se aprende amando”. Escrever também.

Por que amamos jornalismo?
Quando comecei a faculdade, poderia ter dito que amava jornalismo porque gostava de escrever. No segundo período, passei a amar a profissão escolhida por descobrir que ela era ampla e instigava muitos debates, abria portas para um conhecimento de mundo incrível. Descobrimos a importância da antropologia, da ciência da linguagem...
Terceiro período e mais teoria mostrava que amar jornalismo era amar a construção do conhecimento e poder contribuir repassando isso a sociedade. Estudamos ciência política, teorias da comunicação, linguagem e tecnologia eletrônica...
O quarto período trouxe a produção de um jornal acadêmico, onde descobrimos a fotografia como complemento visual imprescindível, mantivemos contatos com fontes, fomos a rua procurar e apurar informações. O resultado deve ser publicado ainda esse ano, com o nome de “O Dizcurso”, jornal temático produzido pela turma de quarto período de jornalismo da Faculdade São Luís. Debatemos muito a questão da ética, aprendemos a gostar de economia e lemos muito com teorias do Jornalismo...
Agora, chegamos ao quinto período, e estamos sendo apresentados ao fabuloso estudo sobre telejornalismo, radiojornalismo, webjornalismo e revista. Mais um passo a turma dá em direção ao aprimoramento, pois enquanto alguns tem seu primeiro contato com os elementos que compõem o universo do jornalismo, tantos outros já atuam na área e voltam as salas de aula para ter a chance de aprender a teoria e com isso atuar melhor. Esse semestre teremos prática em tv e rádio e já começamos a produzir a segunda edição da revista acadêmica Armazém. Mais trabalho e estudo para gostarmos ainda mais da profissão.
Além disso tudo, fora a sala de aula, participamos de congressos, seminários, simpósios e encontros que sempre trazem palestras, mini-cursos e oficinas extremamente enriquecedoras
e ainda proporcionam o encontro com profissionais atuantes e experientes.
Sobre Jornalismo em si, podemos dizer que é o modo de estabelecer o crescimento da sociedade via informação. Jornalistas são os que lutam por isso. São aqueles que se comprometem com a premissa de que “conhecimento gera posicionamento”. São profissionais responsáveis pelo direito da informação difundida com qualidade, sabendo que credibilidade é um fator indispensável a democracia e ao desenvolvimento da sociedade. Jornalismo é tão fundamental quanto educação e sem esses dois suportes nenhuma nação é capaz de avançar.
Assim, ser jornalista é ter responsabilidade e ser pela educação. Fazer jornalismo tem muito a ver com possibilitar um diálogo que educa. Além disso, estudar a profissão é reconhecer que a educação vem primeiro e isso significa dar importância ao papel do profissional. Nesse sentido, jornalismo abraça tudo, desde o começo. A nós, é permitido aprender a informar, opinar, interpretar, apurar, ser a favor da verdade que merece publicação, reconhecer o que é favorável ao bem comum e o mais importante, conseguir manter-se um profissional ético, responsável e crítico.
Fora todo o aprendizado, que a cada dia se mostra mais apaixonante e faz quem estuda jornalismo se admirar a cada descoberta nova sem saber o que gosta mais, há por trás da profissão um marco de sonho e idealismo que misturado a paixão pelo conhecimento, move boa parte dos focas e profissionais. Nesse ponto reside uma particularidade de quem faz jornalismo: os sujeitos que buscam a imparcialidade, tentam ser ao máximo objetivos e neutros são os mesmos que guardam a paixão e a utopia por um mundo melhor, construído por uma jornalismo além do lead (aquelas seis questões mega objetivas que trazem as principais informações do texto, em geral logo no primeiro parágrafo). É mesmo apaixonante integrar esse time, mas ao mesmo tempo é desafiador conciliar o sonho com a realidade. Trata-se de um aprendizado constante.

É por tudo isso que podemos afirmar sem medo: amamos jornalismo.

2 comentários:

Jessica Alves disse...

Nossa, Thalita, muito bom!
O Ensaios já está um ano "no ar", ou melhor, na net. Parabéns!

Manter um blog como o ensaios zelando sempre pelo conteúdo a ser apresentado e pela credibilidade dele é algo q com certeza deve exigir muita responsabilidade e também muita dedicação.
Mais uma vez, parabéns!

Talita Guimarães disse...

Olá, Jéssica!

pois é, o "Ensaios..." está na net há um ano. Parece que foi ontem aquele domingo a noite em que, gripada com febre, sentei em frente ao computador entediada e acabei descobrindo o blogspot...

O tempo passa rápido e as oportunidades também. Um ano parece pouco, mas pode significar muito quando falamos em aprendizado e crescimento.

Fico feliz pelo blog ter proporcionado essa experiência de diálogo com os leitores e principalmente por muitos deles terem se tornado amigos.

Agradeço suas visitas e espero poder sempre encontrá-la por aqui, lembrando que eu também vivo repensando lá...

Alô leitores, dica: visitem o "Repensando Aqui" da Jéssica Alves - http://www.repensandoaqui.blogspot.com

Abraços!

Talita Guimarães