sábado, 16 de janeiro de 2010

HUMOR EM FOCO

Sobre humor stand-up e formação de plateia

Na última quinta-feira, 14, fui obrigada a estar em apenas um dos eventos aqui anunciados. Por uma lógica questão de não poder estar em dois lugares ao mesmo tempo, tive que recorrer ao bom senso e ao evento cujo comparecimento do Ensaios em Foco seria mais viável. Sendo assim, fui conferir o humor stand-up que o Jipe da Comédia, em sua estreia no Teatro João do Vale, apresentaria ao público.

Comédia stand-up, é bom lembrar, também é conhecida por humor cara limpa, o que significa que os atores subirão ao palco sem o auxílio de elementos cênicos que complementem uma possível interpretação. Sendo assim, o sucesso de uma apresentação de cara limpa está todo concentrado no conteúdo das piadas e na criatividade do humorista em tirar do cotidiano das pessoas, coisas simples que divertem quando encaradas na dose do bom humor que beira ironia e sátira. As pessoas gostam de ser apresentadas a um olhar bem humorado da realidade, pois o dia a dia nem sempre permite que as mais corriqueiras situações sejam encaradas com bom humor. Como diria Leon Eliachar, um dos melhores jornalistas de humor da imprensa que o Brasil já teve, “Humorismo é a arte de fazer cócegas no raciocínio dos outros.” O stand-up está na categoria mais pura desse conceito.
Pois bem, com Paulinho Batalha e Jônatas Barbosa a frente do espetáculo sob produção de Ione Amorim, a primeira apresentação em teatro do Jipe da Comédia foi assistida por um público predominantemente jovem, que aguardava ansioso por boas gargalhadas e parecia se sentir bem a vontade com os atores, interagindo de forma entusiasmada com a apresentação.
Quem subiu ao palco primeiro foi Jônatas Barbosa, 19 anos, conhecido pelo público de apresentações em escolas e participações especiais nos shows Comédia em Pé e Deznecessários. Despido do divertido personagem Mestre, apresentado ao público no espetáculo Os Reitardados, Jônatas entreteu o público com uma presença de palco bem marcada, tanto pela iluminação quanto pelas boas tiradas do cotidiano jovem, usando como pano de fundo a realidade maranhense. O humorista brincou com o quanto se gasta para namorar, simulando o comportamento dos namorados no começo e no meio do namoro. Arrancou gargalhadas da plateia ao satirizar o grau de insatisfação da humanidade, quando ninguém parece se conformar com aquilo que tem. “Ouvi dizer que a Angelina Jolie tava com depressão. Caaara, ela namora o Brad Pit!!! Se ficar comigo morre, né? Quer ver só? Liguei pra Leila Lopes pra dizer que tinha visto o filme dela e ela se matou!”. Fez piada ainda com a explosão das “mulheres fruta”, programas de tv que alienam e o comportamento sexual dos jovens.
Em seguida, chamou Paulinho Batalha falando do colega de grupo como grande referência. Aliás, aclamado pelo público, Paulinho foi recebido sob grandes aplausos. A plateia parece já conhecer o rapaz de apenas 18 anos, estudante de Engenharia Elétrica do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), humorista. O que se vê antes, durante e depois do espetáculo é fato: a figura de Paulinho Batalha arrasta em São Luís um grande grupo de jovens e adolescentes. Magnetismo fruto de muitas apresentações pela cidade em participações nobres nos espetáculos Comédia em Pé e Deznecessários. Público, que desde então vem acompanhando os meninos pela internet segundo afirma Paulinho, humilde. Entretanto, quem assiste, garante: uma incontestável veia humoristíca apresentada nos palcos maranhenses é o motivo de ser acompanhado por um público tão fiel. Veia aliás, que por algum motivo só se aflora nos palcos. Pessoalmente, Paulo é muito contido.
Em cena, a cara limpa de Paulinho trouxe para a plateia, que tinha a presença nobre de Cícero Filho, diretor do filme “Ai que vida!” e parte da equipe de produção do novo filme “Flor de Abril”, comentários bem humorados sobre a nomenclatura comum nas festas de fim de ano para o amigo secreto ou invisível. “Eu sempre tiro gente que não conheço. E depois esse nome não tem nada a ver com a brincadeira. Amigo secreto é quando a pessoa é minha amiga, mas ninguém pode saber! Já invisível é quando eu não vejo a pessoa, ué!”. Sobre os tempos modernos, Paulinho brincou com a moda e a internet. “Antigamente quando uma pessoa não gostava da outra, mandava matar. Hoje, quando você tá com raiva de alguém, bloqueia no msn!”. Entre outros temas, o humorista lembrou ainda das dublagens de filmes americanos e impressionou pela imitação das vozes de Sílvio Santos e Lombardi.
Três humoristas fizeram participações especiais no espetáculo do Jipe da Comédia. Foram eles o piadista Fumaça, já conhecido pelas aparições no show de piadas do programa Show do Tom; Eliaquim Maia e Iraíne Duarte, ambos da Sociedade de Artistas do Maranhão (SAM), conhecidos também da safra vinda de Os Reitardados.
Nesse sentido é importante destacar que o humor feito pelo Jipe da Comédia tem público predominantemente jovem, em parte porque seus atores são extremamente jovens também. Falam em uma linguagem que se aproxima do público e trabalha a identificação dos espectadores com o cotidiano. Jovens humoristas, é bom lembrar, mas de talento nato, que divertem na cara limpa, literalmente. Com auxílio de um bom texto sim, assinado pelos próprios comediantes, mas com perceptível capacidade de criação e improvisação. E o público pôde conhecer esse momento dos atores durante a última parte do espetáculo, dedicado ao show de improviso em que a plateia foi convidada a sugerir situações e propor frases soltas para que os humoristas criassem na hora situações hilariantes.
Quem roubou a cena com tiradas rápidas e criativas foi Eliaquim Maia, que também esteve impagável na criação improvisada de um caranguejo. O jogo de improviso foi comandado por Iraíne Duarte que recebia as indicações da plateia e orientava os atores em cena. Encarnando o ponto de firmeza e organização entre os três humoristas, Iraíne foi a presença feminina em cena e se fez notar pelas rápidas frases de comando aos meninos e o tom engraçado de dialogar com eles.
Ao fim, o reconhecimento do talento do grupo veio em forma de aplausos de pé e quando as luzes do teatro foram acesas, os atores reconheceram em voz alta as pessoas da plateia: um público de fãs e amigos, que aumenta a cada apresentação.
Curiosidades:
- Cada humorista assina e dirige seu próprio texto, no stand-up.
- Paulinho tem 18 anos e Jônatas 19. E estão juntos a cerca de três meses formando o Jipe da Comédia.
- Iraíne Duarte, 20, e Eliaquim Maia, 17, são da Sociedade de Artistas do Maranhão (SAM) e foram os convidados especiais da primeira apresentação do Jipe da Comédia.
- Iraíne Duarte cursa Biologia na Universidade Federal do Maranhão (UFMA).
- Os quatro já estiveram juntos em apresentação de monólogos de personagens no espetáculo Os Reitardados, apresentado em São Luís em julho de 2009.

Para conhecer e acompanhar:
Jipe da Comédia
Twitter: @paulinhobatalha ; @jonatasbarbosa .

3 comentários:

Mary Carvalho disse...

Que pena, não pude ir assistir o Jipe e nem o Cine Filosófico...
=/

Gabriel Freitas disse...

Meus parabéns pra galera que teve a iniciativa de criar esse projeto, eu não tive o prazer de assistir, mas pelos vídeos o trabalho é nota dez, os caras dão show mesmo :D

Talita Guimarães disse...

Olá Mary e Gabriel,

obrigada pelas visitas e comentários.

Pois é Mary, também lamentei não poder comparecer ao Cine Filosófico. Saí do trabalho já 19h e como o Teatro João do Vale fica na rua atrás do prédio em que trabalho, só tive tempo de correr para lá e comprar o ingresso. Mas o cine volta em março e continuaremos acompanhando e recomendando o trabalho do professor Jorge Leão.

Gabriel, seja bem vindo ao Ensaios em Foco! Obrigada por nos seguir! O trabalho dos garotos do Jipe é realmente interessante. Vale lembrar que para quem não pode ir a apresentação de quinta-feira, os vídeos estão no youtube, no link indicado no post.

Abraços e continuem por aqui!