sábado, 30 de janeiro de 2010

SAUDADE EM FOCO

"Eu sinto muita saudade. Você é contemporânea...". A letra da canção "Catavento e Girassol" fala de duas pessoas que mesmo diferentes, se completam em alguns pontos. Mas sobre sentir saudade, será que existe alguém que nunca tenha sentido falta de nada nem de ninguém pelo menos uma vez na vida? Boa reflexão para hoje: dia da saudade.

Hoje, 30 de janeiro, é dia da Saudade. Um sentimento que guarda pólos positivos e negativos, alegrias e tristezas. E que sendo um substantivo abstrato, não pode ser apalpado, apenas sentido. E cá entre nós, sentir já é muita coisa. Aliás, sentir saudade significa mais do estar simplesmente só. Ter saudade ou ficar saudoso está ligado ao sentimento de ausência de algo que por algum motivo não nos pertence mais. A companhia de pessoas, momentos agradáveis, lugares especiais e até coisas que guardem alguma utilidade ou significado especial podem despertar o sentimento de saudade.

Sinto muita saudade de muitas coisas, pessoas e situações. Tenho imensa saudade da infância e de como tudo parecia ser mais fácil e verdadeiro. Depois disso, tenho saudade dos meus brinquedos, que o tempo por algum motivo não conservou nas minhas estantes. Entrementes, a única época de escola da qual sinto falta (olha o sentimento de ausência aí) é de quando estudei no CEFET (hoje IFMA). Sinto falta dos colegas de turma, dos professores, do clima da escola. Foi um lugar especial, que me trouxe muitos amigos e me acolheu quando precisei fazer decisões e precisei de apoio. Sinto saudades da família, que mora longe e está espalhada por tantos estados desse Brasil. A exatos nove meses, perdi minha avó. Foi quando conheci a saudade que causa dor e provoca tristeza. Tive que aprender a lidar com essa dor e transformar a saudade tristonha e dolorosa em esperança. Perto dessa perda, houve a do grande mestre da cultura maranhense Antônio Vieira. Expressei o pesar aqui no blog, na época de seu falecimento. Também deixou saudades.

Entre tantas coisas que provocam esse sentimento, acho que a maioria deve estar ligada a coisas que nossos valores consideram boas. A dor e a tristeza vêm, quando a saudade que guardamos nos leva a pensar que aquilo nunca mais será nosso. E aí é preciso pensar bem, porque uma saudade que causa dor aparentemente irreparável pode ter consequências muito negativas.

No fim das contas, é bom ter saudades. Faz parte da vida, lembrar de coisas agradáveis que valeram a pena viver e guardar na memória. E como todos nós um dia seremos apenas saudades, é bom viver deixando um pouco do que temos de melhor por aqui.

Como disse na mensagem de fim de ano, mais importante que as perdas são os ensinamentos. Aquilo que ensinamos é o que fica e faz toda a diferença. Para ter saudade boa, revejo fotos da vovó ouvindo a cativante música do Mestre Vieira. É bom saber que eles ainda estão de alguma forma por aqui. Deixaram um pouco de si.

Feliz Dia da Saudade!
Para quem quiser ler mais sobre esse sentimento e se encantar com a música de Raul Seixas, basta visitar os links abaixo.
- O site Spectrum Gothic traz um texto bonito e informativo sobre saudade.
http://www.spectrumgothic.com.br/gothic/saudade.htm
- Já o site Letras do portal Terra traz a bem humorada canção de Raul Seixas sobre o dia de hoje.

2 comentários:

Gildson Souza disse...

Dizem que a saudade é a certeza de que o passado valeu a pena. É atraves da saudade que damos valor aos bons momentos. Pra finalizar meu comentário, uns trechos da música do Chico "Pedaço de mim"

"A saudade é pior tormento. É pior do que o esquecimento..."
"A saudade é o revés de um parto, a saudade é arrumar o quarto do filho d que já morreu"

Talita Guimarães disse...

Olá, Gil!

Sim, a saudade é mesmo a certeza de que o passado valeu a pena. E tem muito a ver com a memória e as coisas boas que guardamos do que já foi vivido. Gosto de ter algumas saudades.
Obrigada pela visita e pelos versos do Chico.

Abraços!