domingo, 7 de fevereiro de 2010

JORNALISMO ON LINE EM FOCO

As aulas recomeçaram. E agora o desafio atende pelo nome de 6º período. Se digo desafio é porque encarar o penúltimo semestre da faculdade é mesmo algo que exige determinação e ainda mais certeza de que a profissão é realmente o que se quer seguir. Muitos ficaram pelo caminho. Muitos ainda podem desistir. Mas não vamos falar de desistências. Esse texto é afirmativo, é de confirmação do curso e da profissão.

A primeira semana apresentou uma prévia do que serão as disciplinas estudadas esse semestre. Todos os professores são conhecidos da turma. Já estiveram conosco em períodos passados. Conhecem nossas capacidades e também deficiências. E nesse sentido, o conhecimento é recíproco. Entretanto, uma disciplina em especial chamou minha atenção nessa primeira semana.Jornalismo On Line II, a segunda parte da disciplina que tivemos semestre passado e que por intermédio da excelente professora Jô Dantas levantou muitas questões interessantes sobre a prática do jornalismo de internet. Jô continua conosco. E na última aula, quinta-feira, 4, explanou com conhecimento de causa o que é reportagem e como podemos pensar reportagem em termos de internet. Em suma, foi a melhor aula da semana e me rendeu muitas anotações e até comentários, já que costumo prestar atenção, mas falar pouco.

Pois bem, a discussão girou em torno da validade de se propor na atual conjuntura jornalística uma reportagem para internet. Há espaço? Há leitor? Há quem se interesse por ler notícias e desdobramentos, fatos em profundidade na web?

Muito se discute em torno do tamanho do texto de internet, a rapidez das notícias que são lançadas nos portais de notícia, a atualização constante que se exige de jornais on line. Sendo assim, uma reportagem que trate de forma mais aprofundada e extensa um dado tema não parece apropriada ao que as pessoas estão acostumadas a buscar na rede. Mas se for mera questão de costume, podemos dizer que inserir aos poucos reportagens no ambiente de sites de atualização constante seja uma questão de tempo e algo a experimentar.

Em São Luís-MA, os jornais impressos têm seus sites, que são alimentados constantemente com notícias fresquinhas que são atualizadas e substituídas a todo instante. Tomando como exemplos os jornais de maior circulação que são O Imparcial (Diários Associados) e O Estado do Maranhão (Sistema Mirante de Comunicação), temos dois sites que passam o dia emplacando quase as mesmas notícias, mas com formas de produção diferentes. O Imparcial tem uma equipe de repórteres contratada só para o site, que vai para rua apurar e produzir as matérias, enquanto que O Estado (Imirante) tem jornalistas que ficam na redação alimentando o site com notícias produzidas pelo Sistema Mirante (Rádio Mirante AM, TV Mirante e Jornal O Estado do MA).

Nenhum dos dois costuma pôr reportagens nos portais. Mas uma observação que pode ser feita em uma semana de acompanhamento dos sites e dos jornais correspondentes é que as atualizações dos sites geram o que a professora Jô chamou de blocos de informações, que aos poucos podem gerar reportagens. E no caso específico do jornal O Imparcial e de O Imparcial On Line, a junção dessas atualizações do site entram inevitavelmente no dia seguinte como reportagens do impresso. E aí, conferimos o jornalismo on line pautando outros meios.

Quando discutimos em sala de aula o diferencial da reportagem de internet, a professora procurou enfatizar a não-linearidade do texto, lembrando a turma dos recursos de links, hiperlinks e infográficos. Hiperretórica também entra nessa análise. Assim, adaptada para internet, a reportagem ganha uma série de jogos e artifícios para fomentar a leitura e atrair o internauta.

Entre as indicações de leituras para a disciplina, teremos Nilson Lage e Ricardo Kotscho. Fora as discussões suscitadas pela competente professora que nos acompanha por mais esse semestre.Para um primeiro momento, foi bastante promissor. Como continuação de on line I chega a hora da prática e do mergulho da turma na produção de reportagens. Resta a turma, aproveitar. Vou me pendurar em cada palavra da professora. Tentar escrever boas reportagens. Ler bastante. Tomara que ela tire o nosso couro (hihihi). A prática junto da teoria se aproxima. Respiro aliviada: até que enfim!

Sites dos jornais de São Luís:

Nenhum comentário: