segunda-feira, 29 de março de 2010

JORNALISMO EM FOCO

Fórum discute convergência de mídia e jornalismo na contemporaneidade


A Faculdade São Luís promoveu entre os dias 25 e 26 de março o III Fórum de Jornalismo com o tema “Notícias na Palma da Mão”. Em 2010, o evento discutiu a tecnologia como facilitadora do acesso a informação e como os profissionais da comunicação devem se adequar a essa característica do jornalismo contemporâneo.

A programação contou na mesa de abertura, na noite da quinta-feira (25), com a participação do jornalista Thyago Mathias, que atua a frente da produção e edição do programa Globo Universidade da Rede Globo. Mathias apresentou a proposta e os objetivos do GU e como o programa atua em todo o Brasil. Juntamente com os debatedores Josenilma Dantas, Larissa Leda e o mediador Rômulo Barbosa, Thyago Mathias discutiu a partir da experiência do programa, a necessidade da divulgação científica estar atrelada ao uso das tecnologias no que se refere a interatividade com o público e contextualização rápida dos conteúdos abordados em um site multimídia.

Thyago Mathias fala sobre o Globo Universidade: parcerias com universidades, apoio em eventos e divulgação científica às 7h15 das manhãs de sábado.

A mesa debateu a chegada da tecnologia de tv digital, como o jornalista atuará a partir de então e ainda o que permanece na relação com o público. “As pessoas querem reflexão. Não podemos formar jornalistas autômatos, robozinhos de escrever matérias e gravar vt’s”, frisou Thyago Mathias sobre a necessidade de uma prática jornalística inteligente e responsável e que isso ocorrerá com a adequação dos profissionais ao uso perspicaz da convergência de mídias.

Larissa Leda, jornalista e professora do departamento de Comunicação da UFMA, levantou questionamentos sobre como os meios de convergência podem interferir a ponto de alterar a forma de produzir conteúdo para a tv. A mesa debateu que já existem meios que revolucionam a forma de fazer tv como por exemplo o canal Youtube que funciona na internet. Entretanto, Thyago Mathias, que citou o Youtube e a reinvenção do clipe por artistas como Lady GaGa, afirmou que a televisão não será substituída. Pelo contrário, a internet é um meio a mais, que vem somar ao conteúdo produzido e apresentado pela televisão.

Já o segundo dia de fórum contou com programação diurna de oficinas, entre elas “Jornalismo Literário” com a professora Jô Dantas e ainda a oficina “Leitura e Escrita em Blogs” com Marcus Saldanha. À noite houve a palestra de encerramento com a presença dos debatedores Flávia Moura, Juraci Guimarães Jr e Orlando Gonçalves mediados pelo jornalista Adalberto Melo. O tema em pauta foi “As potencialidades do Jornalismo Contemporâneo”.


Em uma ponta, Flávia Moura e o potencial da academia. Na outra, Orlando Gonçalves e o potencial da comunicação corporativa. Ao lado de Flávia, Dr Juraci Jr e o potencial de pauta contínua do MPF. No meio da discussão, Adalberto Melo e o potencial do rádio na mediação.

Considerando a temática “Notícias na Palma da Mão”, a mesa levantou questões pertinentes em várias pontas de atuação do jornalista em seu compromisso de convergir com as mídias. Flávia Moura apresentou o potencial do jornalista empenhado em produzir reportagens além do caráter de denúncia. Explicando o processo de produção do livro reportagem “Escravos da Precisão” de sua autoria, Flávia falou sobre aprofundar as temáticas e desenvolver pesquisas pela área acadêmica capazes de contemplar soluções. Através de conceitos como folkcomunicação, também é possível estudar os processos comunicacionais envolvidos nos problemas que aflingem determinados grupos sociais.

Já Juraci Jr, Procurador da República, apontou como funciona a comunicação dentro do Ministério Público Federal, considerado fonte contínua de notícia e de constante relação com a imprensa. Sobre comunicação empresarial, outra vertente da comunicação que também precisa estar sempre em contato com as novas mídias e a imprensa, Orlando Gonçalves da Petrobrás falou da importância do profissional estar sempre estudando e reforçando suas habilidades de acordo com a área em que atua no momento. Gonçalves enfatizou a relevância de trabalhar durante dez anos em São Luís e firmar uma base profissional antes de partir para atuação em outros estados. Falou sobre os conflitos que podem acontecer quando um jornalista tenta conciliar redação com assessoria e completou que os estudantes devem aproveitar o fórum como uma oportunidade para discussão sobre a profissão e buscar alternativas para ir sempre além do óbvio.

Por fim, a professora Flávia afirmou que “o jornalista tem o compromisso de suscitar o debate”, considerando que uma das maiores potencialidades do jornalismo contemporâneo é justamente usar as novas tecnologias para aprimorar o trabalho jornalístico indo muito além em termos de aprofundamento e produção de informações.

Novidades no III Fórum de Jornalismo da Faculdade São Luís - Durante a realização do fórum houve o lançamento da segunda edição do Projeto Na Prática, que consiste em uma parceria entre a Faculdade São Luís e os Diários Associados na seleção de estudantes dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda para um estágio de dois meses nos veículos do grupo.

--->>Raimundo Borges, dos Diários Associados, fala sobre o projeto e a parceria com a Faculdade São Luís. Ao lado, Luiziane Saraiva, coordenadora do curso de Comunicação Social da instituição.

O projeto, iniciado no segundo semestre de 2009, deu oportunidade para estudantes de Jornalismo praticarem na produção de três produtos dos DA: Jornal O Imparcial, Portal O Imparcial On line e ainda no Aqui Maranhão. Dos primeiros alunos selecionados no programa, três foram efetivados após o término do estágio. São nomes como Gildean Farias, Marcos Atahualpa e o mais novo do grupo Daniel Fernandes, cuja competência foi reconhecida ainda no segundo período do curso.

A outra novidade lançada no fórum foi o Cine Clube da Faculdade São Luís. A sessão inaugural do programa foi realizada na tarde da sexta-feira (26) e contou com a exibição de dois curtas-metragens com comentários do professor e cineasta Francisco Colombo. Foram apresentados na ocasião, o documentário de 16 minutos “Profetas da chuva e da esperança” de Márcia Paraíso, o curta chileno de 12 minutos “Al final del dia” de Felipe Azúa e ainda dois trabalhos cinematográficos do universitário Nicolau Leitão. Foram os curtas “Os lavadores de carro” e “Toma uma dose aí”.

Francisco Colombo, cineasta, conduz a exibição e os comentários dos curtas na sessão inaugural do Cine Clube Faculdade São Luís. ------------->>

Segundo o professor Francisco Colombo, o Cine Clube terá caráter de apreciação de produção cinematográfica com exibição e comentários de curtas, médias e longas-metragens capazes de fazer o público aplaudir, se emocionar, concordar mas também discordar e se chatear, porque cinema é justamente isso: causar alguma sensação no público.

Nenhum comentário: