segunda-feira, 22 de novembro de 2010

4ª FEIRA DO LIVRO DE SÃO LUÍS EM FOCO


Uma feira para flutuar


Por Talita Guimarães

Quem nunca ouviu falar na coleção “Para gostar de ler” talvez seja um alguém que não goste ou simplesmente não tenha um incentivador literário por perto. E aí, talvez tenhamos nesse alguém, um desconhecedor do maravilhoso universo da crônica, um insensível à poesia contida no dia a dia, um estranho ao contato com escritores. Ou talvez seja só alguém que não conheça tal coleção e até goste de ler, vez por outra, de vez em quando. Falo destes livros em especial apenas porque o título me parece emblemático. Talvez também porque eu goste de ler, adore o universo da crônica, leia o mundo em versos e seja completamente fascinada com o contato com artistas das palavras.

Começo assim, flutuando entre extremos, para falar da quarta edição da Feira do Livro de São Luís, que este ano aconteceu entre os dias 12 e 21 de novembro e esteve muito adequada a esta premissa do gostar de ler e ter os livros como portais do conhecimento. Assim como dizia o slogan que a feira festejou durante dez dias, palavras do maranhense José Louzeiro, patrono desta edição: “O livro é guia e instrumento da sabedoria”.

Em 2010, a FELIS chegou ao público com uma programação feliz, que potencializou a proposta do slogan proporcionando o contato gratuito com o conhecimento, afinal, nem só de comércio de livros vive uma feira. E quem teve o cuidado de desfrutar da programação de palestras, oficinas, peças, cafés e lançamentos aproveitou o melhor do evento, no contato com o conhecimento vivo através da conversa com autores, pesquisadores, professores e artistas. Aliás, vale comentar que a programação contemplou autores maranhenses e nacionais. Trouxe gente que falou com propriedade sobre literatura, educação, jornalismo e artes.

Quem teve a oportunidade de passar pela Praça Maria Aragão e adentrar o portal da feira, viveu momentos de flutuação literária. Entre livros, autores, tocador de realejo, declamadores de poesia ao pé do ouvido e sim, personagens – Emília e Visconde de Sabugosa saíram das páginas do Sítio do Pica-pau Amarelo para caminhar pela feira, distribuindo sorrisos e alimentando a imaginação.

Acompanhei cinco palestras e um café literário. Flutuei com Celso Antunes e a educação contada com ar de história; Fabrício Carpinejar e a frenética exposição de sua cronicidade; Airton Ortiz e as fantásticas viagens aventurescas que renderam livros e inauguraram o Jornalismo de Aventura no Brasil; Márcio Vassallo e a poesia inspirada em Mário Quintana; José Maria Nascimento e o comovente relato do poeta que viveu junto com Nauro Machado o tempo da boemia ludovicense e por fim Jô Dantas e a análise da obra de José Louzeiro com a propriedade de quem é mestre em Crítica e Teoria literária.

Caminhei pelo Espaço Cultural, onde estavam os estandes de livreiros e editoras, e explorei muitas estantes, vendo livro por livro e lendo orelhas, prefácios e trechos quando interessada. Apesar da ausência de promoções para os títulos originalmente caros, descobri pérolas da literatura maranhense e levei pra casa vários títulos de bolso de conteúdo inestimável a preços legais. Rebati a quem reclamou dos preços para os livros óbvios, que a feira é para descobrir relíquias e se deixar surpreender pelo novo.

Aliás, quem procura liquidação de best-seller em feira do livro está perdendo tempo. Precisa ser convidado com urgência a assistir palestras em que a professora Dinacy Mendonça esteja presente. Como na palestra “A obra de José Louzeiro” realizada no Auditório Maria Aragão pela Profª. Msc Jô Dantas, quando após a exposição fascinante dos elementos de jornalismo e literatura contidos na obra do patrono, Dinacy pediu a palavra para ressaltar a importância de o maranhense conhecer e reconhecer a literatura de sua terra e envolveu o público em uma exposição rápida dos literatos que nasceram por aqui e de quem devemos nos orgulhar.

Porque feira do livro é isso: encontro com o conhecimento sabendo que o livro é o instrumento, mas o ser humano é quem o torna guia. Por fim, volto ao “Para gostar de ler” e digo que a feira é para todos. Uma oportunidade ímpar para fazer flutuar quem gosta de livros e para ensinar a flutuar quem precisa aprender a gostar.


Frases desta edição:

“A palavra do professor queima mais do que fogo, corta mais do que faca” (Celso Antunes)

“Escutar é ouvir com nuance, ouvir com sensibilidade” (Celso Antunes)

“Vivo de pensar na vida. Acho que esse é um pouco do trabalho do escritor” (Márcio Vassallo)

“A gente não precisa ser poeta para viver em estado de poesia” (Márcio Vassallo)

“As crianças tem a capacidade muito irresistível de gostar de partes. Aquela parte do filme, aquela parte da história...” (Márcio Vassallo)

“A poesia ilumina os caminhos” (José Maria Nascimento)

“Estou aqui por amor à poesia!” (José Maria Nascimento)

“Quando você entra na narrativa, entra nas teias da ficção” (Jô Dantas)

“Literatura não se faz de nomes que um cânon impõe” (Jô Dantas)

“Sou muito preocupado com a fome que os perdedores enfrentam” (José Louzeiro)

“Meu compromisso é com os perdedores” (José Louzeiro)

“Devo tudo que sou a Maria Freitas” (José Louzeiro)

“Sou da terra de Arlete Nogueira da Cruz, José Louzeiro, José Ewerton Neto, Nauro Machado...” (Dinacy Mendonça)


Com parabéns à organização do evento, que nesta edição encontrou o tom da gestão atual e não decepcionou. Falhas acontecem, mas a 4ª Feira do Livro de São Luís será lembrada pelo mérito de ter abraçado o tema proposto com a consistência merecida.

Fotos da 4ª Feira do Livro de São Luís no dia 21.11.2010

Café Literário com José Maria Nascimento; o poeta autografa Os Portais da Noite para Caroline Rios enquanto eu (azul) e Talissa Guimarães (atrás do poeta) o admiramos.



No intervalo do Café Literário, José Louzeiro (esquerda) e Herbeth de Jesus Santos autografam livros





Jô Dantas apresenta estudo sobre a obra do patrono da 4ª FELIS, José Louzeiro



Grupo de teatro Gamar, da Cidade Operária, apresenta encenação lúdica no encerramento da feira.

Um comentário:

iara d disse...

Oi adorei o seu blog, passe lá no meu blog de textos pessoais, obrigado, beijo.