quinta-feira, 18 de novembro de 2010

FEIRA DO LIVRO EM FOCO

Quarta-feira na noite do livro

Adentrar o universo do conhecimento por meio dos livros. Do papel ao e-book. Através de todos os sentidos, de corpo e alma. Essa é a proposta da 4ª edição da Feira do Livro de São Luís. Abraçar o ser humano transformando-o em um leitor do mundo. “O livro é guia e instrumento da sabedoria”, diz o slogan de autoria de José Louzeiro, patrono da feira.

Não há como passar pela Praça Maria Aragão e não sentir o coração de leitor apressar o compasso. Chegar ao portal da feira e ser recepcionado por livros gigantes. A praça transformada numa grande biblioteca. Andar entre os estandes e não se encantar com o fantástico mundo da literatura é impossível. Você pode escolher como quer serembalado: tocador de realejo ou poesia ao pé do ouvido (fotos)? Difícil não se deixar embalar por tudo ao mesmo tempo.

Na noite da quarta-feira, 17, a flutuação literária a que esta blogueira foi submetida no auditório José Louzeiro ficou por conta de Celso Antunes e Fabrício Carpinejar. O paulista Antunes falou sobre educação, mas foi além. Levou o público para passear na narração encantadora de quatro grandes exemplos de práticas educativas.Despertou a reflexão em torno da questão: quanto vale um professor? Encantou a mim e creio que ao público presente, com seu modo de refletir sobre a educação infantil através da experiência que valoriza o ser humano. Em especial, conferiu grandeza à figura do professor. Com poesia e precisão, Celso Antunes falou da influência que a fala de um educador exerce na vida de todos nós: “A palavra do professor queima mais do que fogo, corta mais do que faca”. E seguiu chamando a atenção para o ensinar a escutar, para a sensibilidade que deve ser a marca do mestre. Defendeu a expressão do ato de magia contido no ensinar e no encanto que a verdadeira professora tem guardado na própria forma de envolver os alunos. Antunes resgata em sua fala a necessidade de todos nós darmos aos professores o sentido de dignidade e para isso, dispensam-se equipamentos, recursos e tecnologia como muletas e desculpas. Precisa-se apenas e unicamente do conhecimento e da perspicácia digna de um verdadeiro mestre, humano.

Para finalizar, Celso Antunes deixou a reflexão em torno do que se pode fazer em dez minutos. O que dá pra fazer nesse espaço de tempo? Constatou junto ao público que dez minutos é pouquíssimo tempo para fazer coisas bem elaboradas. “Não se prepara nesse tempo um jantar romântico”, exemplificou. “Mas, se dedicares dez minutos diários a leitura, no fim de um ano serás uma nova pessoa. Dez minutos e se compra uma nova vida”, disse por fim e ganhou longas palmas de legitimação.

O encantamento das palavras do mestre Antunes ainda pairava sob nós quando uma figura completamente exótica cruzou o auditório e sentou-se silenciosamente na poltrona destinada ao palestrante. Era Fabrício Carpinejar diante do público. Burburinho durante a apresentação do novo palestrante. Em seguida a platéia, predominantemente jovem, prendeu a respiração ao ver e ouvir Carpinejar levantar-se de um salto em direção ao público encarnando suas considerações sobre o “ser canalha”.

Enérgico, provocativo, inteligente e bem humorado, o cronista, poeta e jornalista gaúcho (e colorado! Olé!) andou pelo auditório, interagiu com o público, sentou no colo da fã e apertou a bochecha da colorada Caroline Rios (minha amiga que ao fim gravou com o escritor a ola de apoio ao Internacional pelo mundial de clubes!).





Mas alguém pergunta: sobre o que falou Carpinejar? Sobre um mundo de coisas e relações, sobre amar e ser amado, sobre paixões, vícios, qualidades e defeitos. Mas com o ar completamente original, que sempre levava o público a ver a crônica-Carpinejar em carne-viva. Porque ele é isso. Fabrício Carpinejar ao vivo é a união de todos os textos de seu blog e seus livros falando alto e expressivamente. É irreverência e genialidade. Literatura e realidade. Não é palestra sobre como escrever, é palestra sobre a vida escrita. Mais vivo, impossível. Em território maranhense, a vida pulsou com sotaque gaúcho.

Enfim, tentar reportar a palestra do autor de “Canalha”, “Mulher Perdigueira” e “www.twitter.com/carpinejar” é pura perda. Melhor indicar o autor, assegurando que está vivíssimo e original no blog que mantém e nos livros que escreve. Porque vale conhecer: http://www.carpinejar.blogspot.com .

Vila Tulipa no Troca-troca Literário - A 4ª Feira do Livro de São Luís reedita o espaço troca-troca literário na Praça Maria Aragão. Trata-se do estande de troca de livros, uma ótima oportunidade para quem por algum motivo não poderá desembolsar uma grana esta semana nos estandes de livreiros e editoras, mas não quer passar pela feira de mãos abanando.

Livros e revistas podem ser levados a fim de trocar por vários títulos disponíveis. Uma ideia perspicaz para quem está com tempo para literatura esta semana é realizar a troca e ler a tempo de trocar por outro livro até o último dia do evento, 21. As pracinhas de vivência da feira são convidativas para a leitura!

Além disso, esta blogueira deixou sete exemplares autografados de Vila Tulipa, meu primeiro livro, no troca-troca literário na noite da quarta-feira, 17.

Vila Tulipa foi escrito em 2006, quando sua autora tinha 16 anos. No mesmo ano foi premiado pela Fundação Municipal de Cultura no XXX Concurso Literário e Artístico Cidade de São Luís. Em 2007, foi publicado pelo Instituto Federal do Maranhão, (antigo Cefet-MA) onde esta blogueira estudou entre 2004 e 2006.

O enredo se passa na vila que dá título ao livro e conta a história de amizade das crianças Paulo e Tatiana envolvendo o cotidiano dos moradores do lugar. Com bom humor, Vila Tulipa procura resgatar o gostinho de aventura da infância. Porque afinal de contas, todo grande começo tem que ter uma grande aventura.
Aproveitando a deixa, Ensaios em Foco faz campanha: DOE LIVROS!

2 comentários:

Eduardo Trindade disse...

Esse mundo é mesmo pequeno!... Jean Marie, o tocador de realejo da foto, é figurinha carimbada em Porto Alegre e "personagem de uma crônica que ainda não escrevi"!
E eu me encanto ainda mais com a literatura quando ela assume sua face de arte viva e pulsante como em eventos assim. Muito bom!
Abraços!

MARANHARTE disse...

Olá,.
Por coincidência, viemos convidá-la para participar de um especial sobre a Feira do Livro. Estamos convidando escritores, professores e estudantes universitários para escrever suas impressões sobre esta quarta edição. Mas você já publicou a sua , e com muita clareza e sentimento (parabéns!). O que nos resta é pedir permisssão para publicá-la. Caso queira modificar algum parágrafo ou acrescentar algo, o nosso e-mail é:
maranharte@gmail.com.
Qualquer dúvida entre em contato conosco.
Abraços.