domingo, 6 de outubro de 2013

#7FeliS EM FOCO


Biblioteca Comunitária do bairro do Anil é tema de palestra neste domingo na 7ª Feira do Livro de São Luís

Inquieta com a falta de uma biblioteca em seu bairro e ciente de que muitos problemas de sua comunidade esbarravam não só em serviços públicos deficientes, mas também na ausência de mobilização da própria comunidade a estudante de Design Mariany Carvalho resolveu arregaçar as mangas, recrutar voluntários que compartilhassem do mesmo sentimento e fazer alguma coisa pelo bairro onde mora. Foi mais ou menos assim que surgiu a ideia de criar uma biblioteca comunitária no bairro do Anil, em São Luís. Do desejo de unir acesso à cultura à melhoria de vida de uma comunidade. 

Felizmente, a iniciativa ganhou corpo e hoje (06) às 17h, Mariany e os voluntários da BiblioBairro apresentarão a palestra "Bibliotecas no Bairro do Anil: a literatura transformando a comunidade" com mediação de Cássia Furtado no Auditório da Associação Comercial do Maranhão (Praça Benedito Leite). A palestra integra a programação da 7ª Feira do Livro de São Luís, que termina hoje.

Para saber mais sobre o processo de criação da BiblioBairro e a importância de ações que promovam mudanças positivas através do acesso à educação e cultura, o blog conversou com os voluntários da Biblioteca do Bairro na entrevista abaixo. 

Quem quiser aproveitar o último dia da #7FeliS, fica a dica para conferir a palestra, conhecer Mary e a propositiva turma da BiblioBairro.

Ensaios em Foco: Como, quando, por quem e por que surgiu a ideia de desenvolver o projeto de uma biblioteca comunitária?
BIBLIOBAIRRO: O projeto Biblioteca do Bairro - BiblioBairro Anil surgiu em janeiro de 2013 quando Mariany Carvalho, atualmente voluntária do projeto, decidiu pôr em prática a iniciativa após perceber uma necessidade não só sua, mas também de muitos outros moradores da comunidade: a necessidade de um espaço cultural no bairro, onde a população pudesse desfrutar dos livros e inseri-los no seu cotidiano. Esta ideia, na verdade, foi uma forma de promover uma transformação no bairro, que sofre atualmente com uma série de problemas sociais que encontram solução através da educação.

E&F: Como foi o processo de identificação dessa necessidade no bairro e quais foram as observações constatadas durante a pesquisa com os moradores?
BIBLIOBAIRRO: Conversando com pessoas de todas as idades que moram na região foi possível notar a insatisfação com a situação do bairro, que vem se prolongando ao longo dos anos sem soluções efetivas e nenhuma mobilização para que isto se modifique. Os jovens, em especial, são os mais inquietos quanto às potencialidades que a comunidade tem, mas que atualmente se afoga em descaso. Além disso, muitas mães e pais em busca de uma educação melhor para os filhos reclamam da ausência de bibliotecas e outros espaços de estudo para usufruto dos filhos. Durante os quatro meses de entrevistas, os voluntários puderam avaliar de perto e entender essas necessidades, conhecendo melhor a comunidade e divulgando o projeto, que teve ótima aceitação.

E&F: Quantas pessoas estão envolvidas na mobilização da criação dessa biblioteca, quais as formações delas e o que é necessário para participar? 
BIBLIOBAIRRO: Atualmente a BiblioBairro conta com a participação de 12 voluntários, além do apoio das Agentes Comunitárias de Saúde - ACS's da região e de alguns parceiros que tivemos o prazer de conhecer durante nossa trajetória. Os participantes do projeto são das mais diversas formações - Relações Públicas, Design, Ciência da Computação, Artes Visuais, entre outros -, e para participar basta apenas ter afinidade pelo projeto e disponibilidade para ajudar. Os interessados devem entrar em contato conosco através do telefone, facebook ou email.

E&F: Como foi a receptividade das pessoas consultadas e como tem sido a participação dos moradores no projeto?
BIBLIOBAIRRO: Os moradores gostaram muito da iniciativa e dão grande apoio para que a BiblioBairro possa ser implantada de fato. Alguns moradores, incluindo as ACS's que moram na região, também ajudam bastante na venda de rifas, na divulgação e na realização de ações, por exemplo. 

E&F: Com quais recursos vocês pretendem manter o espaço? Já há uma sede?
BIBLIOBAIRRO: Por enquanto o projeto ainda não possui uma sede, e consegui-la tem sido nossa prioridade. Para o nosso projeto estas têm sido as maiores dificuldades: espaço físico e manutenção da iniciativa. Apesar de ser um projeto de grande importância para a sociedade, nem sempre é fácil encontrar apoio financeiro para tal. Pretendemos manter o projeto através da colaboração de patrocinadores e também através de pequenas atividades beneficentes, como rifas, brechós e bazares.

E&F: Por que vocês acreditam que esse seja um projeto pelo qual vale a pena se mobilizar, sobretudo sob caráter voluntário?
BIBLIOBAIRRO: Acreditamos que a chave pra resolução de muitos problemas sociais no nosso bairro, cidade ou país está na consciência crítica que cada pessoa pode desenvolver e, consequentemente, nas ações que podem ser realizadas a fim de que a realidade melhore. A BiblioBairro é um projeto que vale a pena ser apoiado e estimulado por atingir o setor que é o principal agente de transformação de uma sociedade: a educação. Ser um voluntário, doador, parceiro ou patrocinador de projetos como este são maneiras de fazer parte dessa transformação positiva em uma comunidade.

Nenhum comentário: