segunda-feira, 5 de outubro de 2015

#9FeliS EM FOCO - Diário da Feira do Livro 2015


A #9FeliS teve início na última sexta-feira (02/10) e já contou com um movimentado fim de semana de atividades. 

Minha dica para esta segunda-feira (05/10) é o imperdível Café Literário "Poesia e canção popular no Brasil" com Karina Buhr (PE), Fausto Nilo (CE) e Celso Borges (MA) mediados pelo jornalista Pedro Sobrinho. É logo mais às 18h30 no Espaço Café Literário "Lourdinha Lauande Lacroix" (Centro de Criatividade Odylo Costa, Filho)

Como sempre aproveito ao máximo a programação de todos os dias da feira, farei um esforço durante toda essa semana para trazer para cá um diário da 9ª edição da Feira do Livro de São Luís, que acontece na Praia Grande até domingo (11/10) com vasta programação cultural. Confira a programação completa aqui.

A seguir, conto como foi o meu fim de semana na #9FeliS


*****

#9ªFeliS - 03.OUT.2015 (Sábado)

O primeiro dia de programação oficial da 9ª Feira do Livro de São Luís contou com uma conferência de abertura de peso ministrada pelo imortal da Academia Brasileira de Letras Antonio Carlos Secchin, que analisou com brilhantismo a descoberta da poesia nas obras de Carlos Drummond de Andrade e João Cabral de Melo Neto. Secchin forneceu ao público cópias dos poemas "Infância" (Drummond), cuja leitura nos foi brindada com o áudio na voz do poeta, e "Descoberta da literatura" (Cabral). 

Antonio Carlos Secchin observado
pelo curador da FeliS
Fernando Abreu
O mérito da análise profunda feita pelo conferencista reside em sua sensibilidade em passear pelas entrelinhas dos poemas sem esvaziar a poesia de seu encanto. Pelo contrário, ao comentar em profundidade as camadas de sentido de verso por verso, Secchin desvela uma leitura muito mais ampla e bela. Traz à tona toda a carga afetiva e psicológica do poeta posta nos versos. 

Secchin: "O poema sabe mais que o poeta"
Sem dúvida, a conferência de abertura com Antonio Carlos Secchin foi uma escolha acertada para substituir o encontro com o teólogo Leonardo Boff, que precisou cancelar sua vinda à FeliS por questões de saúde. Em seu lugar e falando de outro território do saber, Secchin promoveu uma aula de leitura profunda abrindo em grande estilo a nona edição dessa feira que deveria se chamar Festa Literária, tal é a amplitude do portal do conhecimento que se abre com sua vasta programação. 

Nesse sentido, vale destacar que a #FeliS é muito mais que um espaço para comércio de livros, que na minha modesta opinião é só mais um detalhe conveniente em um universo cultural muito maior. A Feira do Livro de São Luís é acima de tudo um território de saber compartilhado de forma gratuita e livre com intensa atividade cultural.

Sebo e Pitomba!
Uma caminhada atenta pela Praia Grande, bairro mais que adequado para a ocupação da feira literária, revela muito para fazer e é bom enfatizar mais uma vez gratuitamente: cafés literários, Cine FeliS, intervenções poéticas, espaços de leitura, mesas-redondas, seminários sobre livro e leitura além de lançamentos de livros. A programação completa merece uma lida com atenção, pois oferece uma infinidade de atividades diárias para toda a família.

No caminho da Vila dos Livros para o Teatro João do Vale, topei com os artistas da Tapete Criações Cênicas na Rua Portugal. Nesta edição, a Companhia apresenta a intervenção poética "Palavras Viajantes". 

Além de assistir à conferência de abertura, visitei no sábado o estande do Sebo no Chão na Vila dos Livros (espaço dos livreiros), onde meu livro Vila Tulipa está disponível para venda. O espaço desse estande está sendo compartilhado com o catálogo da ótima Pitomba! Livros e Discos. Impossível para mim passar pelos livros cuidadosamente editados por Bruno Azevêdo e não sair de lá abraçada com algum. Assim como não dá para garimpar as estantes de Diego Pires e deixar passar a chance de levar algum livro para casa por um acessível preço de sebo. 


#9FeliS - 04.OUT.2015 (Domingo)

O domingo na feira começou cedo para mim, que estava a fim de emendar várias atividades da programação. Às 14h30 eu já estava a postos no Canto do Tonico, espaço da Rede Amiga da Criança, para assistir à exibição do documentário A viagem de Yoani sobre a vinda da blogueira cubana Yoani Sanchez ao Brasil em 2013. 

Cine debate
O documentário de 75min de duração, dirigido por Peppe Siffredi e Raphael Bottino, aposta na narrativa da apresentação de quem é Yoani a partir dos vários olhares que se debruçam sobre sua figura pública, desde que seu blog Generacion Y ficou conhecido no mundo todo por relatar a vida em Cuba com profundas críticas ao sistema político do país. Após a exibição do filme houve um debate sobre liberdade de expressão e política.

Trailer

Na sequência, às 16h30 acompanhei o lançamento do livro Vivendo Teatro Dança - Investigações de uma artista maranhense para crianças de todas as idades da Júlia Emília no Espaço Mary Ferreira (Auditório da Faculdade de História da UEMA na Rua da Estrela). Na oportunidade, a autora falou sobre o trabalho da Companhia Teatro Dança que este ano completa três décadas de existência e leu trechos de seus livros, enquanto a dançarina Luciana Santos fazia uma intervenção artística interpretando a estória. 

Júlia Emília e Luciana Santos
Luciana, eu e Júlia
Na saída do lançamento, tive o prazer de caminhar pela feira na companhia da Júlia Emília a fim de visitarmos os estandes de livreiros e dar uma volta pelo espaço. No estande do Autor Maranhense, onde Júlia pôs seu livro à disposição do público para venda além de disponibilizá-lo no estande da Pitomba!, conhecemos o cordelista cearense Paulo de Tarso, que me presentou com um cordel sobre a lenda de Ana Jansen. 

Júlia Emília, Paulo de Tarso e eu
No fim da tarde, às 18h30 no Odylo, foi a vez de acompanharmos o Café Literário de lançamento de Um Livro de Crítica (Pitomba!) de Frederico José Correa, reeditado 137 anos após a publicação original. A reedição inédita conta com ensaios e fortuna crítica de Ricardo Leão, Sebastião Moreira Duarte e Henrique Borralho, presentes na mesa-redonda mediada por Bruno Azevêdo. 

Café literário de lançamento de "Um Livro de Crítica" com Ricardo Leão, Sebastião Moreira Duarte e Henique Borralho mediados por Bruno Azevêdo
A mesa discutiu em profundidade a historiografia em torno do título de Atenas Brasileira conferido à São Luís, a formação literária maranhense e o exercício da crítica literária no estado. 

Antonio Cícero palestra observado por Andrea Oliveira
Fechando a noite e a programação do domingo, vi ainda a palestra do filósofo e poeta Antonio Cícero (RJ) com mediação da jornalista Andrea Oliveira no Teatro João do Vale às 20h. Cícero percorreu um denso e interessante estudo sobre a relação de inspiração e pertença entre a cidade e os homens ao longo da história. Declamou poemas próprios e de Baudelaire, Bandeira, John Keats, Drummond, Maria Rilke, Vinícius de Moraes, Hokusai e Gullar que ilustram a fusão do sujeito com a cidade. 

Cícero declama poema de Hokusai
Sobre o tema "A cidade e os livros - um percurso de pertencimento", Cícero falou sobre o fenômeno de desenraizamento que transforma a cidade particular em universal. Abordou também como se dá a apreensão instrumental do mundo e discorreu sobre a linguagem como um instrumento que faculta ao ser humano aprender sobre o espaço onde vive.

Mais uma conferência instrutiva e interessante sobre a presença dos livros e da literatura na vida humana em sociedade. 

3 comentários:

Júlia Emília Ferreira da Silva disse...

Passeio agradável com a autora, Talita Guimarães, que revela seu amor incondicional pela literatura e leitura, em cada canto da cidade. Está dando pontos nos cânticos e espalhando pelos locais onde passamos. Beleza pura esta nova amiga. Ligadas pelos livros, pelas histórias, pelos casos, pelos cordéis. Bravo. Júlia Emília

Renata Teixeira disse...

Super concordo! "Conheço" a FeliS pelas suas palavras e tenho certeza que Festa Literária é totalmente apropriado. E essas palavras me encantaram tanto que na lista do 'Feliz 2016' está programada um viagem para São Luís para a 10ª FeliS!! Olha o que suas palavras provocam!!!!
Eu não conheço A Viagem de Yoani, mas essa afirmação só tem validade até hoje a noite. :-D

Talita Guimarães disse...

Muito grata pelas pessoas de luz que a literatura colocou em meu caminho esse ano. Júlia, Renata, cada uma com seu jeito carinhoso de vir pra perto com mãos cheias de gentilezas e um olhar amoroso pelas palavras que compartilhei aqui.
Obrigada, Júlia, pelo apoio, pela companhia e pelas belezas compartilhadas.
Obrigada Renata, pelas leituras, comentários e por esse presente maravilhoso que é saber que a receberemos aqui ano que vem. Obrigada de verdade por todos os comentários, faz com que eu me sinta menos só nesse espaço. Adorei!
Abraços grandes em vocês!
;)